sexta-feira, 9 de maio de 2008

O dia do homem



Aqui em Angola todas as sextas-feiras é o dia do homem, confesso que mesmo depois de 1 mês aqui ainda não consegui aceitar isso com naturalidade.

O dia do homem funciona da seguinte maneira: os homens saem para se divertir, enquanto as mulheres e namoradas ficam em casa cuidando dos filhos.

Eu sempre pergunto para as meminas, como elas deixam e elas sempre me respondem: "o que eu posso fazer? È o dia do homem. Você tem de aprender muito sobre Angola para entender isso".

E lá vão eles para a gandaia, alguns só voltam pra casa no domingo. Mas tudo tem limite, se chegar na segunda, ai tem briga!

Outro dia eu perguntei para um Angolano casado que toda sexta teima em me chamar para sair, mesmo eu já tendo dito um milhão de vezes que não saio com homens casados, mas enfim perguntei se não havia o dia da mulher também, ele achou minha pergunta tão absurda já que mulher tem de ficar é em casa cuidando dos filhos e se não fizer isso ou começar a reclamar do dia do homem, eles simplesmente vão embora...

No país onde as mulheres dão um duro danado o final de semana é mais duro ainda...

9 comentários:

fernando baião disse...

Menina de Angola, passei por aqui pois julgava que era angolana. Não tem maka, brasileira é muito parecida com a angolana, alegre, divertida, simpática, ambas gostas de rir.Nem todos os angolanos são assim, machistas, por outro lado, a angolana da cidade já aprendeu a se emancipar, também vai na farra. O homem que sai todas as sextas feiras, quando chega a casa também às vezes tem surpresas, e não são boas,por isso é que os crimes passionais aumentaram no meu país.Fique, bem, vou voltar.

Migas disse...

Também concordo que não serão todos os casos! E aliás, ainda no Domingo passado comentei que se vê imensos grupos de amigas a almoçar juntas. Algumas mais velhas até, não me refiro a meninas novinhas. O que é certo é que também já tinha ouvido essa história do dia do homem, à sexta-feira. Mas, tal como o Fernando disse, também há alguns que não querem ter surpresas. ahahah... Uma vez eu disse a um angolano que trabalhava comigo: eh, vais trabalhar para o Mussolo! Que fixe! E ele: não sei se é fixe ou não. É que depois quando voltamos, já está outro no nosso lugar. ahahah E estou a falar de um menino com a minha idade, 27.

Pior, e isso eu acho mau mas, tenho de respeitar a tradição angolana, é o homem poder ter várias mulheres (desde que tenha dinheiro para tal, of course). Mas também é a opinião de uma mulher. Talvez um homem que venha cá comentar (de qualquer nacionalidade) é capaz de achar muito bem! ahahah Esta foi pura provocação ao sexo maculino.

Beijos

P.S. Devo ir a Caboledo amanhã, talvez nos encontremos por lá! :o)

fernando baião disse...

Tradição angolana, o homem ter várias mulheres (alembamento=ver Casa de Luanda),só no interior, actualmente. Em, Luanda, ter "manauto-dois" ou três, "segundo canal", como nós dizemos, virou moda, e é preciso kumbú (dinheiro) para sustentar essas mulheres extras, que quanto mais novas mais caras.E já não falo da filharada, o angolano faz filho à toa, em casa ou fora, que depois abandona à sua sorte, há muita mulher solteira com filho alheio.è mais um problema que estammos com ele.

Menina de Angola disse...

Oi Fernando, obrigada pela visita e volte sempre.

Eu sei que nem todos os angolanos são machistas, assim como nem todas as angolanas aceitam tal comportamento. Em nenhum momento eu quis generalizar. Apenas falo aqui um pouco das curiosidades que eu vejo :)

Migas
esse negocio de varias mulheres é muito estranho para a minha cabecinha, a gente sabe que isso acontece em vários lugares, mas a maioria encobre e finge que não está acontecendo nada...

jotabloguer disse...

Olá: É um caso "bicudo" sim senhor!
Culturas ajustadas aos seus desejos! O s homens que assim procedem, enfim, são candidatos a outros trofeus!
Concordo inteiramente com aquela Mulher que os ponha na linha!
Mas os comportamentos sociais em Angola, são pressoinados por alguns desiquilíbrios que persistem, onde a lei da sobrevivência, induz o lado feminino a aceitar essas regras do jogo!
Mas cada um de nós tem de respondevpordcada um dos nossos actos!
Por isso...
Fica bem!
Jorge madureira

F. disse...

Menina de Angola, em Moçambique esse dia do homem também existia e quando estive por lá, em 2005, achei a história uma palhaçada. Mas isso porque eu sou a favor de direitos iguais para todos. Quanto às várias mulheres, que foi citado aqui, tem uma questão de oferta e demanda: com tantos anos de guerra, tem muito menos homem disponível do que mulheres.

Michell Niero disse...

De fato, trata-se de algo bastante retrógrado e que está embutido não só na cultura do angolado, mas também na do moçambicano também.
Aliás, em meu blog há um artigo a respeito do dia do homem em moçambique escrito por um dos protagonistas deste hábito.

Seu blog é um manancial de boas histórias, parabéns! Nosso projeto busca "meninas e meninos" que tenham condições de trazer boas histórias da cultura e ao cotidiano dos países de língua portuguesa. Queria muito que você partipasse trazendo esas histórias pra gente.

meu e-mail é michellniero@opatifundio.com
msn michellniero@hotmail.com

aguardaremos seu contato.

Saudações.

Ana Filipa Silva disse...

É muito interessante que este post tenha dado um dos maiores números de comentários do seu blog. Será os angolanos e homens a se tentar defender? LOL

CHRISTINA MONTENEGRO disse...

Ora, ora... Quando trabalhei num ONG para homens, lancei "O Dia do Homem", mas era para os homens refletirem sobre si mesmos...
Mas ISSO poucos querem ou valorizam...
Não há diferença de 'cultura' alguma; a não ser pela instituição do dia e do horário semanais...rsrsrsrs