domingo, 13 de julho de 2008

O silêncio



Violência é um tema que eu sempre evitei comentar por aqui, afinal de contas ela existe em qualquer lugar do mundo e em Luanda não é diferente. Aliás São Paulo é muito, mas muito mais violenta do que Luanda sem dúvida nenhuma. Só que em Luanda, apesar de muita gente dizer o contrário, a violência também existe e eu não consigo entender por que se faz tanta questão de esconder isso.

Essa semana fiquei sabendo de dois crimes ediondos cometidos contra brasileiras, a minha indignação não é por elas serem mulheres, jovens, brancas e brasileiras. A minha indignação é contra a violência e a forma como essa violência está sendo abafada.

Duas mulheres são violentadas e as empresas em que elas trabalham providenciam o seu retorno o mais rápido possível e fazem de tudo para manter tudo no maior sigilo.

Como assim sigilo? Como assim não causar pânico? Como assim manter a identidade da agredida em segredo?

Cadê a polícia para investigar o caso?
Cadê a imprensa para alertar do perigo a sociedade?
Cadê a sociedade para cobrar a justiça da polícia?
Cadê o Itamaraty para cobrar a segurança dos seus cidadãos expatriados?
E cadê a comunidade brasileira que não se uni contra essa violência e permite que ela seja simplesmente abafada?

Sempre achei que a sociedade Angolana era machista, mas não posso acreditar que a violência contra a mulher seja aceita com tanta naturalidade.

Também me preocupa o fato de em duas semanas duas brasileiras terem sofrido a mesma agressão. Será que nos tornamos presas fáceis em Luanda?

Simplesmente não posso ficar calada diante de um absurdo como esses. Não posso ouvir das pessoas, "não comente com ninguém", lógico que vou comentar e vou comentar com todo mundo, as pessoas têm de saber para poder se previnir.

Não podemos fazer coro com os que calam e fingem que nada está acontecendo. Alguém tem de tomar uma atitude para que essas agressões não se repitam e não só com as brasileiras, mas sim com todas as mulheres, sejam elas brancas, amarelas ou negras!

14 comentários:

Gisele disse...

Oi, eu soube apenas de um desses casos e também achei estranho todo esse silêncio, mas achei que seria para preservar a menina em questão. O problema é que com isso tem gente que está achando que é boato ou que a culpa é da vitima que deu "bobeira" ao andar sozinha.

F. disse...

Menina, eu não sabia nada sobre esses dois casos. Sou muito próximo de pessoas da Embaixada e posso lhe assegurar que eles também não sabem, porque estive com eles este final de semana. Vou alertá-los para o caso e fazer um chamada para o seu post sobre o fato. Precisamos romper o silêncio.

Menina de Angola disse...

Gisele, a culpa é da vitima é demais, hem! A menina sai domingo a tarde e a culpa é dela? Ninguém me avisou que eu tinha que andar com segurança.. Mas enfim o negócio é nao andar sozinha mesmo... Infelizmente!

F. fico feliz que você pense como eu, não é possível que ninguém faça nada.

bj

Uma Brasileira nas Arábias disse...

Que triste isso, meu Deus...:(

fernando baião disse...

Infelizmente, Luanda tá virando grande cidade com todos os vícios que se possam imaginar. A violência está a atingir níveis insustentáveis e todo o cuidado é pouco.Lamento que estejam a acontecer casos desses no meu país, aqui há uns anos atrás,tão pacífico.Tudo tem que ser denunciado, há a rádio, os jornais semanários, pois não acredito que a imprensa ligada ao poder publique esses casos.Já tenho aqui prevenido que não se deve ir para longe de Luanda, sem acompanhamento masculino ou mesmo para discotecas. Mais uma vez lamento o sucedido. Bjinhos de amizade para ti.

Anônimo disse...

Olá Menina de Angola,
O meu nome é Flor e eu estou a pensar emigrar para Luanda daqui a 3 meses com o meu namorado (ele teve uma proposta para ir para aí). Sou Portuguesa e ADOREI o teu blog todo :)
Em relação à segurança, achas que é mesmo necessário 1 motorista? e quanto pode ser o ordenado dele? Muito obrigada e 1 beijinho!

Elis disse...

Poxa,eu nem sabia que era assim por aí...que coisa!
Sabe,estou procurando novos blogs p "linkar" no meu e vou passar outras vezes por aqui p entender mais sobre a vida por aí.

Anônimo disse...

Sou Angolano 25 anos vivo e estudo na europa e por curiosidade estou no brasil de ferias... conheço muito bem meu pais e sei q este caso nao podera terminar caso os braços n se cruzem como parece em primeiras instancias! Odeio violencia racismo discriminacao injustiças... ha mecacnismos soluveis pra reprimir esse caso tao humilhante considerado mim por a segunda maior violencia!!! A denuncia tem q ser bem estrutura. é provavel q os violadores devem ter "costas largas" e feixar o caso entre parenteses e calar as vitimas! a sociedade ai se comove muito pela liberalizacao de informacao vira tumuldo por isso suplicam o silencios de voces n nao e nunca se podem calar pra factos semelhantes. caso passe na TV, ai voces verao asa feras se soltarem a policia a trabalhar o governo querendo mexer os pes pra dar solucao! n somos totais democratas aos pés do Brasil e nao so ainda é miragem por ai! qlqr ajudinha sou amigao e socialvel é so chamar Herniren@hotmail.com. Peso a vitima cosulte a O.M.A(Organizaçao das Mulheres Angolanas)

Gabriel disse...

Olá! Meu nome é Gabriel, e sou do Rio de Janeiro. Em primeiro lugar, gostaria de parabenizá-la pela coragem de encarar o desafio de viver em outro país e pelo interessantíssimo blog que você mantém. Descobri o blog hoje e já li todos os posts na primeira visita!
Me formarei em administração em julho de 2009, tenho muita vontade de trabalhar em Angola. Acho extremamente atraente a idéia de conhecer um país com cultura ao mesmo tempo tão próxima e tão distante da brasileira, assim como considero única a chance de poder participar (mesmo que como uma mera formiga em meio ao grande formigueiro) da construção de um país. Eu, mesmo a distância, acredito em Angola.
Não sei que caminhos te levaram à Angola, mas imagino que você possa me ajudar com uma informação, inclusive por ter contato com outros compatriotas na mesma situação que a sua. Gostaria de saber como posso fazer para conseguir ter acesso a oportunidades de emprego por esses lados, se existe algum orgão do governo que pode ajudar (como o próprio consulado) nesse sentido. Também gostaria de saber sobre a demanda de administradores em Angola.
Mil desculpas pelo comentário grande e por "abusar" de sua boa vontade, minha ansiedade é coisa da (pouca) idade!

Segue meu e-mail: santocp2@hotmail.com


Desde já, muito obrigado pela atenção e tempo dispensado! Felicidades para você nessa fase de sua vida!

eduardo disse...

È muito bom saber e ter certeza que ainda existem pessoas boas e especiais, parabéns por ser especial, continue com tudo que faz pois pode ter certeza faz bem a todos.

Marcio J disse...

Olá Menina tudo bem, primeiramente gostaria de lhe dar parabens pelo seu blog, me chamo Marcio sou Brasileiro moro em sao paulo sou empresario no ramo de higiene pessoal fraldas descartaveis e absorventes etc...como vc mesmo relatou as coisas ai sao muito caras, gostaria de seus comentarios sobre este assunto,pois gostaria de fazer investimentos nesta area em Luanda agradeço desde já, e mais uma vez parabens pelo seu blog, gostaria de saber também se vc tem outro meio de contato.Grato

Menina de Angola disse...

Ola Marcio,

Não tenho informações sobe esse mercado. Se você tiver intersse posso lhe indicar uma empresa que realiza pesquisa de mercado.

Quanto aos preços praticados no mercado, mesmo absorventes sendo importados eles são mais baratos aqui do que no Brasi.

Boa Sorte

Marcio J disse...

Olá, Gostaria sim desse contato. Agradeço suas informacoes,
Boa Sorte,

Menina de Angola disse...

Olá Marcio,

Seguem os dados:
João Moura
Country Manager
Tel: +244 934 015 620
j.moura@apemeangola.com
Rua Revolução de Outubro, 171
Luanda - Angola
www.apeme.pt