segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Valentine´s Day



Dia 14 de fevereiro é dia dos namorados em Angola, assim como na maior parte dos países ocidentais, menos no Brasil que todo mundo sabe é dia 12 de junho.

Apesar de na TV passar várias propagandas do dia dos namorados, as lojas fazerem decorações e promoções especiais para o dia dos namorados, não senti clima de dia dos namorados, talvez por eu ter crescido com o estigma do dia 12 de junho.

Existem várias versões para a comemoração do dia dos namorados a mais aceita é a que atribui a data de 14 de fevereiro a morte de um padre que casava os jovens escondido e por isso acabou morto.

Mas a que eu mais acredito é a versão de que a igreja criou a data em 419, mais ou menos, para tomar o lugar das festas pagãs da fertilidade que tinham início no dia 15 de fevereiro, tornando a partir de então essas festividades proibidas.

Então sábado não teve cara de dia dos namorados. Mas aproveitando a desculpa fomos no Elinga dançar,enquanto aquele lindo casarão ainda está de pé. E ele continua resistindo firme e forte. Toda semana tem alguém dizendo que aquela será a última semana de vida do Elinga...

Começo a desconfiar que isso não passe de estratégia de marketing para manter a casa cheia, mas não importa, o que importa é que a música continua ótima o público continua indescritivelmente diferente. E é uma delícia ficar ali dançando e observando...

Mas como era dia dos namorados, terminamos a noite numa autentica festa angolana de dia dos namorados. Muita música, muita comida, muita bebida e decoração repleta de laços e corações.

Entre kizombas e sembas o DJ colocava alguma música brasileira romântica, daquelas bem brega que faziam a pista de dança encher com casaizinhos apaixonados dançando juntinho...

Só tem uma coisa que me intriga, todo mundo sabe que é parte da cultura local (se é que pode-se chamar isso de cultura), mas enfim o fato é que o homem angolano costuma manter várias namorados além da própria esposa ou esposas. Então como será que eles fazem no dia dos namorados?

Imagina se todas as namoradas estiverem de TPM juntas em pleno dia dos namorados hahaha

8 comentários:

Anônimo disse...

Haahhahahahhhaahah.
Menina de Angola, ainda não teve tempo de ouvir uma expressão que é muito normal em Angola?
Moça,você é mulher daquele Justino que trabalha no sitio blá blá blá?
Sou sim! Mas a primeira? Ou a segunda?
Eu? Eu, eu sou mesmo a terceira.
E tadinha ....lá vai ela com um barrigão enorme do malvado do Justino, que as engravida e nem apoio lhes dá.
Beijinho querida
Massaroca

Ngouabi Salvador disse...

como canta o vosso e nosso Gilberto Gil, que mentira danada ééé; não é verdade que por norma o homem angolano tenha mais que uma mulher/namorada. Eu tenho apenas uma; tenho varios amigos com uma só parceira; os meus irmãos(3); vários colegas de trabalho, enfim....

Anônimo disse...

Claro que um Jurista...
Mas na vulgaridade, na sociedade comum, nos milhares de homens sem formação académica (e muitos também tem) sabe que não é mentira danada!Eh ehehhehhehehh quantos raminhos de flores em triplicado e prendinhas se oferecem neste dia!
Eu sei Dr!
Um abraço!
Massaroca

Nadja Saori disse...

Fazia já um tempão que eu nào passava para ler seu blog... mas que bom que voltei a blogar !!!

Adoro aqui :)
beijoooos

Menina de Angola disse...

Massaroca, nunca ouvi essa expressão mas já ouvi de muitos angolanos "Hoje eu vou sair com minha namorada" quando eu pergunto da esposa, rs.

Ngouabi, eu sei que não são todos os angolanos, mas o fenômeno da bigamia em Angola é inegável. Aliás até ouvi dizer que havia um projeto para legalizar a bigamia por aqui...

Nadja, volte sempre!!!

bj

momo disse...

Hola me encanta tu blog, lo descubrí porque quiero ir unos dias a luanda y estab mirando fotos de la zona.
te seguiré leyendo.
Un abrazo desde Madrid

Victor Zacharias disse...

Eu estive no Fórum Social Mundial em Nairóbi e lá conheci uma Angolana que reclamava da situação da mulher na sociedade. Ela dizia que a cultura machista e baseada em preceitos culturais impunha a mulher a obrigação de se unir ao seu cunhado caso a esposa dele, irmã dela, viesse a falecer. Ela dizia, mesmo que nào queria sou obrigada a casar com ele. Esse choque de culturas que coloca a mulher, como diria Simone, como segundo sexo ou segunda categoria, é difícil de aceitar. Também, como vc, sou questionador profissional. Bj

ANNA MATHAYA disse...

Ta certo Ngouabi! Infelizmente há a triste mania de generalizar quando se trata de falar de Angola, eu que tive 1uase 08 anos de Brasil, me assustei com muita coisa de lá, a começar com o famoso "ficar"...mas fica o recado: mora nessa terra gente integra, ou seja, homens donos de uma só mulher e mulheres donas de um só marido, quanto ao mais, não que eu seja defensora da poligamia -ou da sacanagem- de maneira nenhuma, mas até na Europa Civilizada, encontram-se "humanos" que mantem relações extraconjugais, por isso, please, não se apeguem ao que não é regra para obsrva-lo como regra!