quinta-feira, 5 de março de 2009

Desbravando Angola: Malanje



Esse ano eu decidi que quero conhecer muito mais de Angola. Não só as praias que são lindas, mas também as províncias distantes que guardam os verdadeiros segredos desse país.

Comecei as minhas viagens por Malanje a capital da província de Malanje. Logo ao chegar na cidade a impressão que temos é de completo abandono. Apesar da estrada que liga Ndalatando a Malanje ser novinha, muito bem sinalizada e sem nenhum buraco não existe acostamento. Não há dúvidas que o programa de reconstrução nacional chegou por ali com tudo o de bom e ruim que os contratos milionários têm.



A cidade é muito pequena, a maioria das ruas é de terra e vê-se obras em várias delas. A noite não encontrei nada para fazer, muito menos, bons restaurantes a única alternativa era comer no hotel mesmo.

Mas as belezas de Malanje estão escondidas longe da capital. A primeira parada o parque de Cangandala, onde afirmam haver as últimas palancas negras gigantes do mundo. A estrada não está em condições de uso. Portanto não chegamos ao parque e muito menos vimos palancas.



Da estrada entre Cacuso e Kalandula já dá para avistar as magníficas quedas de Kalandula. Um espetáculo e tanto. Na cidade tem apenas um bom hotel com uma vista magnífica para o por-do-sol.



E como o tempo era curto fomos embora, não sem antes passar pelas pedras de Pungo Andongo, misteriosas e imponentes.



Quem sabe da próxima vez consiga ir até Marimba onde está o túmulo da Rainha Ginga ou até Quela para comprar artesanato.

Aliás, que falta de investimento na cultura local. Não existe nenhuma loja onde se possa comprar artesanato, nem mesmo as famosas marimbas de Malanje.
Durante todo o trajeto encontramos pequenos povoados a beira da estrada. Muito verde e nenhum investimento em agricultura.

Em alguns lugares havia avisos alertando para o perigo de minas terrestres. Apesar de todo o trabalho que vem sendo feito para desminar as terras, ainda há muito que ser feito. Só quando a gente viaja pelo interior é que percebe o quanto a guerra afetou esse país. São centenas as casas abandonadas que hoje estão em ruínas. As marcas de balas espalhadas pelos prédios, as pontes que foram destruídas e principalmente as famílias que forame esquecidas pelo desenvolvimento da capital.



De todas as belezas naturais que encontramos, sem dúvida nenhuma foi a população a que mais chama a atenção. Um povo alegre e comunicativo que em todos os lugares onde passávamos nos acolhiam, conversavam e davam dicas de lugares para conhecer.

12 comentários:

Anônimo disse...

Menina de Angola
Esse povo...esse povo único e tão mal estimado.Vou lendo e viajando consigo, como gostaria de a levar pela mão e contar mil histórias.Mostrar tanto sítio que ficou esquecido no amor dos homens e até na história.
Bjos
Massaroca

Anônimo disse...

Essas cachoieras, essas pedras... sao maravilhosas! Approveite bastante Menina!
Michel

Belo disse...

Menina

Todos o meses no meu blog AngolaBela, apresento um trabalho do dr.Pedro Vaz Pinto, intitulado "Parque Natural de Cangandala-Palanca Negra". Trata-se precisamente da Palanca Negra Gigante.
Um beijo
Belo

Manuella P. disse...

Olá!Sou brasileira e estou pesquisando literatura angolana na minha tese de mestrado. Hoje decidi que vou fazer as malas e passar uns dias em Luanda, para fazer minha pesquisa de campo. Você poderia me passar algumas dicas?A única coisa que me aflige é o custo de vida, que pelo que sei é altíssimo. Obrigada e sorte na sua estadia!Beijo, Paula.

lmm disse...

só mesmo para dizer que gosto muito do seu blog. é de visita recorrente...

kandanda disse...

Menina:
Foi a Malanje...então passou em N'Dalatendo?
Aí estudei, fiz os meus estudos primários e secundários...lá longe em 1974. Saudades dessas paisagens...não dos sinais do tempo, mas do tempo de menino que não conhecia o tempo da Europa!
Continuo a segui-la, menina d'Angola, com devoção...bem haja pelo seu trabalho!

Mariano Salvador disse...

Olá, gostaria de recomendar o seguinte a Manuela, que está a fazer uma pesquisa sobre a literatura angolana:
1- Um livro fantástico de Carlos Everdosa com o título: " Roteiro da Literatura Angolana";
2.º Consulte o site http://www.uea-angola.org/, que é o portal da união dos escritores angolanos;
2.º Acho que poderá ser de extrema utildade para a sua pesquisa o contacto pessoal com pessoas ligadas a literatura em angola, fundamentalmente escritores. Posso lhe recomendar o sr.Adriano Botelho de Vasconcelos, que é o Secretario Geral da União dos Escritores Angolanos.
Qualquer informação adicional que precise pode contactar-me pelo meu email que é ngouabi.salvador@gmail.com

Shadydreams disse...

Ola Menina de Angola:
Decidi atribuir ao teu blog o Prémio Dardos, pelo qual se reconhecem os valores que cada blogger, emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os bloggers, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web. Este prémio obedece a algumas regras. Para as cumprir lê o meu último post no Diademadeangola.


Obrigada.

Um abraço de Mj

momo disse...

pues que bien porque de estre modo a través de ti yo podré conocerla.
Un saludo

Raulz!to disse...

Nossa, lindas fotos!!! Esse pôr do sol foi magnífico, hein? Certamente a foto não traduz um terço da beleza ao vivo. Será que um dia eu conhecerei Angola? rs

telma disse...

muito linda meus parabens pois ficou muito ben este trablho meus paraben mesmo.

liviane disse...

Oi, linda gostaria de saber como é o clima predominsnte ai em Luanda, tá fazendo muito frio,vc pode me passar por e-mail livianesantos@ig.com.br