sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Xenofobia


É impressão minha ou a Xenofobia tem aumentado em Angola? Depois de mais de um ano e meio morando em Luanda fui vítima de insultos 3 vezes na última semana. Todos eles ocorreram no trânsito, fato esse que não seria de se estranhar devido ao caos que é dirigir nessa cidade.

No entanto, o que me causa assombro é ver que os insultos sempre de angolanos negros são contra a minha cor e minha nacionalidade e nunca contra uma possível barberagem.

Em vez dos comuns "Dona Maria vai pilotar fogão" ou "Tinha de ser mulher mesmo". O que eles gritam em alto em bom som é "Sua Pula volta pra sua terra"...

Os angolanos que recentemente descobriram as motorizadas fazem o que querem com as mesmas sem nenhuma preocupação em obedecer as leis de trânsito.

O desrespeito é tamanho que eles chegam a passar no farol vermelho na frente do policial de trânsito sem que o mesmo nem se quer tome conhecimento.

Fechadas, andar pela contramão, empinar a moto no meio do trânsito, cruzar a estrada pela via de pedestres, andar em cima das calçadas e claro passar por qualquer vão a vista são lugares comuns por aqui.

Outro dia vi uma cena no mínimo curiosa um motoqueiro, que por incrível que pareça estava parado ao meu lado obedecendo o farol e aguardando cuidadosamente a sua vez de prosseguir, foi quase atropelado por uma carrinha que queria a todo custo passar pelo meio dos carros numa rua totalmente parada.

O mesmo vira para a carrinha e diz: Deus queira que bata!
Ao que o motorista não se fez de rogado e responde: Deus queira que vc caia.

Já me disseram que Angola é um bárril de pólvora prestes a explodir tamanha a desigualdade social. Mesmo sabendo que a classe dominante negra nada faz a favor dos seus excluídos sociais o que vemos no dia a dia é que não é contra eles que a maioria se revolta e sim contra os expatriados. Como se a culpa de todas as mazelas dos angolanos fossem nossas.

Essa é uma visão no mínimo distorcida dos fatos.

Enquanto eles ficam perdendo tempo a insultar e agredir quem vem pra cá com o firme propósito de trabalhar são seus próprios conterrâneos quem mais os humilham e exploram!

20 comentários:

André Miguel disse...

Eu compreendi muito da mentalidade Africana com os semáforos em Luanda. Passo a explicar: eu conduzia uma pick-up, usada e sempre suja com poeira e lama (fácil imaginar porquê), minha roupa era sempre do mais simples e nem relógio usava, mas quando estava parado nos semáforos os mendigos pediam-me sempre dinheiro ao invés de pedir ao condutor do veículo ao lado, que era muitas vezes um Toyota Prado ou BMW x5 novo, a brilhar e o condutor vestindo fato, gravata e usando relógio de ouro, mas era negro...

Afonso Loureiro disse...

É muito mais fácil apontar o dedo ao que é diferente. Porque apontar ao que é igual é reconhecer defeitos no próprio.

Infelizmente, em Angola parece que racismo se define apenas de brancos para negros e nunca ao contrário.

Jussara disse...

Me assusta saber disso visto que tenho muitos amigos angolanos e de outras nacionalidades africanas e luto para que estes se incluam com mais naturalidade na nossa cultura brasileira. Eles vivem aqui devido aos estudos e no próximo ano pretendo ir visitar alguns que já regressaram. Espero que essa situação se amenize. Bjs Fofos Jussara Alves.

Anônimo disse...

O racismo é a tendência do pensamento, ou do modo de pensar em que se dá grande importância à noção da existência de raças humanas distintas e superiores umas às outras. Onde existe a convicção de que alguns indivíduos e sua relação entre características físicas hereditárias, e determinados traços de carácter e inteligência ou manifestações culturais, são superiores a outros. O racismo não é uma teoria científica, mas um conjunto de opiniões pré concebidas onde a principal função é valorizar as diferenças biológicas entre os seres humanos, em que alguns acreditam ser superiores aos outros de acordo com sua matriz racial. A crença da existência de raças superiores e inferiores foi utilizada muitas vezes para justificar a escravidão, o domínio de determinados povos por outros, e os genocídios que ocorreram durante toda a história da humanidade.
Wikipédia

Minha querida
O que acabou de descrever, não me admira nada.
Terei a veleidade de lhe dizer, que conheço bem o povo Angolano e que por muito que me custe, ao fim de tantos anos, a falta de «sabedoria» ou a «cabeça de colonizado» continua bem latente.
Não acredito numa mudança!
Sou firme em dizer isto.
A culpa vai ser sempre do «pula» seja ele de que origem for.
O mundo querida, surge-nos dessa forma e se tudo correr bem, só existirá tranquilidade e falta de agressão quando ou todos forem tão evoluídos...Que saibam que «racismo» é coisa fora de moda, ou uma «Mestiçagem» implantada na raça humana.
Isso sim seria o ideal.
Bjos
Massaroca

Anônimo disse...

Começo a ficar bué farto de vos ouvir.Se estao mal bazai porque angola ja ca estava antes de voces, aerogramas,cus de judas, branquelas, muambas e toda a bosta que vcs escrevem aparecerem.Acho que chega mesmo a hora de vos mostrar mesmo que angolano nao gosta que pulas tugas e brasas digam mal deles depois de ganharem o kumbu a fazerem quase nada.Desapareçam mesmo!

Leandro Hilário disse...

Boa Noite, Menina de Angola, estou para fechar um contrato de trabalho ai em Luanda, gostaria de trocar algumas ideias com voce, como poderiamos fazer isso, boa noite mais uma vez e otimo blogg.

Anônimo disse...

Bom dia, adorei suas dicas e comentarios, estou chegando ai em janeiro de 2010, gostaria de saber se vc tem algum email para conversarmos mais a respeito de angola e prepara o melhor possivel a viagem.
obrigado
Marcos
Meu email é marcosadc@yahoo.com.br
por favor delete o meu email antes de publicar o comentario

Menina de Angola disse...

Anônimo, se está bué farto pq continua a ler esses blogs? Vai ler o Jornal de Angola e ficar a par das decisões que seus políticos estão tomando.

Leandro, deixe seu e-mail no comentário que eu lhe escrevo.

Massaroca, espero mesmo que um dia todo o racismo no mundo seja erradicado... Enquanto isso não acontece o negócio é esperar e ter paciencia...

Jussara, venha tranquila, esses são fatos isolados...

Pois é Andre já ouvi cada coisa de Angolano com dinheiro que vc nem imagina...

Pulla disse...

Boa Tarde.

Trabalho em Luanda e frequentemente tenho esse problema, mas como sou Brasileiro e nunca desisto ,fica aqui meu recado para que as pessoas que ja tiveram essa experiencia negativa, nao fiquem preocupadas, isso acontece em todos os lugares.

abraço

Contos de um Pula.

Leandro Hilário disse...

Oi meu e-mail é hilario@consent.com.br, e gostaria de saber o seu nome para ficar melhor o contato se possivel claro.

Leandro Hilário disse...

oi meu e-mail é hilario@consent.com.br tambem é meu msn, gostaria tambem de saber o seu nome, para facilitar o nosso contato, se possivel claro.

Anônimo disse...

Como diz o AL do Aerograma, é mais fácil apontar o dedo ao que é diferente, mas dos países que conheço do mundo e de áfrica em particular, o "angolano" seja ele de que "nação" for, é mesmo diferente. Para mim pelo menos há 30 anos, e nunca fui colono, nem tive qq familiar que tivesse sequer posto os pés em áfrica. Angola vive agora a explosão chinesa, como tantas outras irá passar, e o que ficar rápidamente será destruído. E olhem que conheço mesmo muito bem angola...e as suas nações.

mcoral disse...

menina de angola...voce devera estar fazendo a maior diferença
mostrando que apesar o brasil ter problemas de xenofobia..principalmente com nuestros hermanos...mas nada como ser educado civilizado
mostre o que o nosso povo tem de melhor...carater e educação..principalmente qdo estamos fora de casa......mostramos o melhor do brasil..adorei teu blog..vim por intermedio do brazil com z
beijos e otimmo 2010....

Marluce disse...

Eu nao sei se he angolana, portuguesa ou brasileira talvez nao saiba dessas historias mas quando mtos e mtos angolanos imigraram p portugal em busca nao so de uma oportunidade de trabalho, mas do direito a vida ja que havia guerra, a maioria contava aos parentes e amigos em Angola que sempre ouviam esta frase: preto vai para a tua terra, ficou registado ate em musica por ser tao comum, infelizmente as pessoas agora sentem-se no direito de fazer o mesmo, sei q he terrival, mas espero que dee um desconto se na Europa existe essa ignorancia quanto mais em Angola onde falta tudo.Tente nao se preocupar com isto e espero que a experiencia de morar aqui seja a mais enriquecedora possivel.

Maria Ines disse...

Menina,
Adoro seu blog pois esta me ensinando muitas coisas sobre Angola. Estou para ir ai em breve.

Junior disse...

fiquei pasmo, vou a angola no final do ano, para ajudar na recosntrução do pais,essas pessoas não vêem o esforço que nos brasileiros e portugueses estamos empenhando para construir um pais decente, por que eles não aprendem conosco ao inves de nos hostilizar?

Anônimo disse...

ambem eu mando o pula para a Tuga, mando o chines para a China e o angolano pro caralh...meus amigos não é racismo é cansaço que esta vida de Luanda nos faz. Venham só, ajudem-nos a reconstruir e aquele que nunca foi insultado na sua propria terra, fica então, não vem. não queremos cá virgens os outros venham todos

Anônimo disse...

Moro em Angola desde 2008 e de um ano pra ca venho sofrendo com um Angolano xenófobo. Ele tentou me agarrar, levou um tapa bem dado na cara e acabou com o meu sossego. Fui presa, fiquei numa cela com 34 homens e ate hoje ele me persegue tentando me extraditar. O que fazer com uma pessoa assim tão preconceituosa?

Menina de Angola disse...

Anonimo,
Qu situação dificil a sua. O que eu posso te dizer e que procure o consulado, A OMA, que não trata apenas dos problemas de mulheres angolanas, mas de todas as mulheres e se nada disso funcionar talvez seja a hora de vc voltar pra casa. Até que ponto vale a pena passar por essas coisas nao é mesmo? Boa sort

katyla silva disse...

Sou Angolana e como tal não sou nem um pouco racista (porque até sou casada com um homem da raça branca), acho que os Angolanos se tornaram racistas por culpa dos portugueses, porque muitos dos meus conterrâneos no tempo da guerra foram viver em portugal.Resultado sofreram com o racismo e agora vingam -se no primeiro pula que encontram...
Eu mesma quando vou de ferias pra portugal como o pão que o diabo amassou, entro numa loja e o segurança põem-se a andar atrás de mim (pelo simples facto de ser negra) negro lá é ladrão.Chegou ao ponto de um dia apontarem o dedo pra mim e me chamarem de ladra (pessoas essas que nunca me viram de lado nenhum).
Cheguei a essa conclusão porque: quando voltava de umas das minhas ferias, assisti a uma discussão entre um angolano e um português, e o Angolano só gritava que queria lhe ver o que ele faria agora, porque já estava na terra dele.
Não estou com isso querendo dizer, que os Angolanos têm razão, mas sim que o racismo lá fora contra nós é bem pior do que o racismo que vocês sofrem aqui.PODEM ACREDITAR QUE É!