quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A reconstrução de Angola



Várias pessoas criticam a reconstrução de Angola por acharem que se trata apenas de grandes arranha céus que estão sendo feitos em Luanda. Ou que o progresso só chegue para os condomínios de luxo do Talatona que estão povoados de expatriados de várias partes do mundo.

Posso dizer que tenho grande parcela de culpa dessa visão deturpada, afinal aqui no blog é só isso que eu conto. A questão é que eu vivo em Luanda, trabalho com construção civil o que torna muito mais fácil falar sobre isso.

No entanto, o projeto de Desenvolvimento e Reconstrução do país vai muito além... São inúmeros os troços (estradas) que já foram entregues. O que sem dúvida traz benefícios para toda a população seja rica ou pobre.



Já existe um grande investimento na agricultura em várias províncias o que gera emprego direto para os angolanos e diminui o custo dos produtos.



Lubango está se tornando um grande pólo educacional com várias Universidades e cursos técnicos sendo desenvolvidos por lá.

Hospitais modernos para atendimento da população carente já podem ser vistos pelas periferias de Luanda. Remédios para combate à malária são distribuídos de graça em toda a rede pública de saúde (bom pelo menos é isso que falam na TV).

Até postos de assistência médica móveis já são vistos pelas musseques.



No lugar das famosas candongas que cobravam o que queriam, principalmente em dias de chuvas, já existe auto-carros (ônibus), circulando pela cidade.



Existe muito a ser feito, muito mesmo. Afinal de contas são mais de 70% da população vivendo abaixo da linha da miséria, ou seja, ganham menos de U$1,00 por dia.

Existem vários projetos de requalificação de bairros degradados que vão sim se tornar bairros de luxo. No projeto sambizanga, por exemplo, todo o bairro será remodelado e as famílias que hoje vivem em condições precárias serão removidas para casas com total infraestrutura em outro local.

Muitas pessoas criticam esse modelo, dizendo que aquelas pessoas que estão lá têm o direito de ficar lá. Não sei o que é certo ou errado, mas de uma coisa eu tenho certeza nada é de graça nessa vida. E se para bancar a realocação dessas pessoas for necessário que as suas casas dêem lugar a arranha céus de luxo que vão sim enriquecer os empreiteiros, mas é de lá também que vai sair o dinheiro para financiar o projeto de requalificação. Por que não?



Afinal de contas todos ganham! O país ganha com o turismo, as famílias ganham com a infraestrutura das novas moradias e geração de empregos.

A classe dominante fica mais rica o que não é nenhuma novidade em nenhuma economia do mundo.

4 comentários:

Anônimo disse...

é isso mesmo menina.
Muita coisa tá mal, sim, ninguém diz o contrário, mas como se vê dizer em alguns blogs que TUDO que é angolano está mal, eu acho que é muita injustiça...
Já sinto falta dum post seu lá na Casa de Luanda...

Beijinho
Ana

Salucombo_Jr. disse...

olá...
também sou dos tais que dia sim dia não bombardeio no meu cantinho o que se tem feito no país, concretamente a minha/nossa Luanda.

para mim, a questão está nas prioridades e na escolha de muitos projectos que foram erradamente escolhidos para Angola...mas isso, talvez seja outra conversa.

o impacto de uma coisa mal feita será sempre maior do que o impacto de muitas boas escolhas que tem sido feitas por essa Angola.

Red shoes disse...

Espero, sinceramente, que esta Luanda do video venha a ser real.
Bom post, parabéns.

Fábio disse...

"vão sim enriquecer os empreiteiros, mas é de lá também que vai sair o dinheiro para financiar o protejo de requalificação. Por que não?"
- Deves viver num conto de fadas...
Triste por esse País que cresci a ouvir histórias maravilhosas de gente seria, amiga onde do pobre ao rico havia lealdade,amizade...onde toda a gente comia da mesma panela com sinceridade e amor...Onde eu pensei voltar um dia para ver se era verdade aquilo que os meus pais diziam....mas não...apodreceu descaradamente, uma terra nova sem identidade, exposta ao capitalismo,ao investimento em grande escala, à corrupção descarada, à miséria a olhos vistos e à desigualdade ao expoente máximo...E a riqueza que fora bem distribuída no pós-guerra.......... TUDO ISTO É TRISTE, TUDO ISTO LINDO, TUDO ISTO É ANGOLA....!! A minha terra Natal (Lobito) Fábio Serrenho Portugal