quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Eleições




Todo mundo falou, especulou, se apavorou, resmungou e teve seu momento “Mãe Dinhah” prevendo o resultado das eleições legislativas em Angola. Até agora eu não havia me manifestado afinal de contas já tinha tanta gente falando sobre o assunto, que não conseguia achar nada para falar do que aquilo que todo mundo já disse.

As primeiras eleições legislativas após a guerra de 1992 ocorreu pacificamente ao contrário dos boatos que circulavam entre rodinhas de expatriados e principalmente na internet. Sempre tinha alguém contando que uma fonte segura ligada a UNITA tinha revelado em segredo que haveria uma nova guerra.

Esses boatos levaram muitos expatriados a marcarem suas férias (inclusive eu), para o começo de setembro e poder assim acompanhar de longe o que acontecia em terras angolanas. Os corajosos que ficaram aqui foram aconselhados a não sair da segurança dos seus condomínios até o final das eleições.

Pelo que eu soube, já que não estava presente, o maior problema das eleições não ocorreu nas urnas e sim nos supermercados que ficaram totalmente desabastecidos e com os preços lá nas alturas. Isso devido à grande boataria de que haveria tumulto nas ruas, levando grande parte dos expatriados e a minoria dos angolanos com posses a reforçar suas dispensas.

Até eu que não estaria aqui dei uma reforçada na dispensa lá de casa, já que minha parceira chegaria no domingo logo após as eleições e não poderia deixá-la morrer de sede, né?! Tive de ir em 3 supermercados para garantir nosso suprimento de coca-light e legumes congelados, mas enfim aqui isso não chega a ser grande novidade...

O MPLA, partido que está no poder há mais de 30 anos, ganhou com mais de 80% dos votos o que não foi nenhuma surpresa para ninguém. A classe intelectual de Angola chora o resultado e reclama do povo que “não aprendeu a votar”, mas a verdade é que o governo fez sua parte e botou a mão na massa para garantir esses votos.

Os partidos de oposição felicitaram o partido ganhador e só para não deixar em branco tentaram cancelar o resultado alegando que as eleições não poderiam ser feita em 2 dias como foi e sim apenas em 1.

Um amigo angolano que cresceu em Portugal e agora voltou para a terra natal, não perdeu tempo e as 7 da manhã foi ao posto de votação exercer seu direito de cidadania. Saiu de lá às 10 da manhã sem conseguir votar porque o material eleitoral ainda não havia chegado.

Com tantos problemas logísticos não havia como fazer a eleição só em 1 dia. Mas a pergunta que não quer calar é: Com a data da eleição sendo anunciada com tanta antecedência, os partidos tendo sido definidos qual a grande dificuldade em enviar o material eleitoral para os postos de votação? Parece que essa é mais uma das perguntas que nunca serão respondidas em Angola.

Os observadores internacionais atestaram a legalidade do resultado, felicitaram Angola pela demonstração de democracia e agora o que todo mundo quer saber é quem serão os candidatos a presidente em 2009...

Alguém arrisca um palpite? Será que teremos em Angola uma candidata como se suspeita ocorrer no Brasil? Acho que Angola ainda vai ter de esperar muitas eleições para vermos isso acontecer... Mas não resta dúvidas que existem muitas guerreiras nesse país com capacidade mais do que suficiente de colocar a mão na massa e mudar a história desse povo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Olá Sandra
Estava à espera que você voltasse.
Que é bom, vou continuar a ler com assiduidade o que escreve.
Menina inteligente e sagaz!
A maneira como descreveu as eleições, corresponde exactamente à verdade.Agora pode acreditar que o maior «palco» de teatro, foi o que em Angola se passou.Que o MPLA iria ganhar, todo o mundo sabia, só que os «actores» exageraram na percentagem utópica. Numa multidão de descontentes...um índice tão grande vota no «carrasco» que os governa? E mais...Vá lendo atentamente quem vai ocupar lugar nos «poleiros» disponíveis.
Poder doentio de falta de piedade,falta de vergonha e de caridade por tanta gente passando mal.
Um abraço e um beijinho.
Massaroca

Guilherme Freitas disse...

Espero que Angola possa colher bons frutos desta eleição. Abraços.

Fernando disse...

Menina, parabéns e obrigado pela exposição, só hoje dei com este seu lugar, gostei e voltarei mais vezes, é um aconchego para alma perceber que há estrangeiros que nos sentem e olham sem preconceitos, somos o que somos e é um prazer partilhar este "nós" que de todos vós tem um pouco.

Sou apenas um dos que nesse dia cinco, orgulhosamente ostentou o dedo indicador e o coração indelevelmente marcados.